6 de abr de 2010

Aeroportos brasileiros na berlinda

Não! Não estou aqui para repercutir a matéria de capa da Revista Veja dessa semana sobre os aeroportos brasileiros, nem mesmo para fazer uma clara apologia à privatização. Já faz um bom tempo que eu decidi não gastar tempo – nem saliva – lendo e discutindo os assuntos trazidos à pauta pelo nosso “almanacão”. Mas, dessa vez, vai ser inevitável render-me à discussão da hora. É que, desde a semana passada, eu já havia decidido o assunto do meu post dessa semana: o fiasco da participação brasileira na entrega do prêmio SKYTRAX World Airport Awards de 2010, realizada no último dia 23 de março, em Bruxelas, na Bélgica. A coincidência temática, portanto, foi inevitável.

O World Airport Awards é uma espécie de Oscar da aviação civil. Organizado pela SKYTRAX, uma empresa de consultoria britânica, o prêmio é concedido aos melhores aeroportos do mundo em diversas categorias. Os resultados se baseiam em questionários respondidos pelos próprios usuários dos aeroportos. Nesse ano, o universo de participantes superou a marca de 9,8 milhões de passageiros que transitaram por mais de 210 aeroportos em todo o mundo.

De 2009 para cá, pouca coisa mudou na lista dos 10 melhores aeroportos do mundo: apenas três não figuravam no topo da lista do ano anterior (Pequim, Auckland e Bangkok). Mas nem por isso a hegemonia asiática foi quebrada: dos 10 melhores, 6 estão naquele continente (Cingapura, Incheon, Hong Kong, Kuala Lumpur, Pequim e Bangkok). Completam a lista os aeroportos de Munique, Amsterdam e Auckland, na Nova Zelândia.

A ausência dos aeroportos brasileiros no topo dessa lista não é propriamente uma novidade. Todos nós conhecemos – ou pelo menos ouvimos falar sobre – a condição precária da maioria deles, apesar de todo o investimento que vem sendo realizado nos últimos anos (veja um resumo deles aqui). Mas o que realmente me surpreendeu foi vê-los subestimados numa avaliação estritamente regional. Eles sequer aparecem entre os melhores da América do Sul. Por aqui, o protagonismo fica por conta dos aeroportos de Lima, Santiago e Buenos Aires – nessa ordem.

Fila do Check-In no Aeroporto de Brasília no domingo à noite (04/04): o dobro disso vinha atrás

Algum capixaba eufórico e inocente poderia perguntar: e o aeroporto Eurico Sales, de Vitória? Em que lugar da lista ele está? A verdade é que não dá para ter certeza sobre nossa posição no ranking. Os únicos aeroportos brasileiros citados na pesquisa foram os de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte (Confins). Mas não é preciso muita imaginação para saber que estamos bem longe de um padrão mínimo de qualidade e conforto. Basta passar uma única vez pela desastrosa experiência de pegar bagagem na esteira do desembarque para ter certeza disso.

Quer saber? Sorte nossa que nem fomos avaliados...

3 comentários:

  1. Vamos torcer para que a copa do mundo e as olimpíadas modifiquem este panorama. Que um de nossos aeroportos seja eleito ao menos o melhor da américa do sul.

    ResponderExcluir
  2. Precisaremos de mais uns três Programas de Aceleramento para conseguirmos um aeroporto em Vitória. E o pior que o projeto do atual já está aquém da demanda futura quando for inaugurado.

    ResponderExcluir
  3. Assim como o Márcio, minha torcida é para que após a Copa e as Olimpíadas a vida dos viajantes brasileiros melhore bastante. Não
    sei onde vc mora, mas para quem mora longe de um grande aeroporto a "viagem" é bem mais longa...rs
    A jornada mereceu uma postagem no meu blog:
    http://deturistaaviajante.blogspot.com/2011/03/transfer-porto-e-aeroporto.html

    ResponderExcluir